Make your own free website on Tripod.com

O Obelisco da Passagem do Século

Na passagem do século XIX para o século XX, foi construído, na frente da "Igreja Matriz Nossa Senhora do Patrocínio", na atual "Praça Siqueira Campos", em Jaú, o primeiro obelisco comemorativo que foi todo feito em mármore branco de "Carrara", trazido da Itália. Possui forma triangular, embora tenha uma camada de cimento sobre o mármore branco. Nos lados deste obelisco podemos ler algumas inscrições:

"Deus-1.900-1.901-XIX".

"Ao Passado-América do Sul-Brasil-São Paulo-Jaú-XX-Ao Presente".

"Sciencia-Pátria e Família".

Este obelisco foi inaugurado na passagem do dia 30 de dezembro de 1.900 para o dia 01 de janeiro de 1.901 (mais precisamente a meia noite). Nesta noite, a "Banda Marcial Carlos Gomes" executou os acordes do "Hino Nacional" e muitos fogos de artifício foram soltos. A festa de inauguração do obelisco permaneceu durante todo o dia seguinte. "José Ferraz do Amaral Gurgel" e seu sobrinho "João Lourenço de Almeida Prado" presidiram as solenidades colocando dentro do alicerce do obelisco vários objetos. Estes são alguns dos objetos colocados:

* 13 moedas de 100 réis e de outros valores.

* Alguns exemplares dos jornais "O Despertador" de 1.890, da folha semanal "O Jahú" de 1.896" e "O Correio do Jahú" de 1.900.

* Um livro "O Jahú em 1.900" de "Sebastião Teixeira".

* Documentos pessoais em nome de "José D'ávila" (advogado) e de "Sebastião Teixeira".

* Diversos cartões de visita e panfletos.

* Uma passagem de uma romaria por Jaú.

* Uma peça de metal.

* Um vidro de colírio anestésico.

* Pacotes e Exemplares de conteúdo desconhecido.

O obelisco permaneceu durante 100 anos quase que esquecido. Sua festa de inauguração foi de fato um acontecimento bastante marcante e histórico para a cidade. Este fato significou uma das maiores festas de Jaú, a qual foi notícia. Naquela época, Jaú tinha apenas 48 anos. Era uma cidade pequena. Atualmente este obelisco é considerado "ponto histórico" na cidade.

No dia 15 de agosto de 2.001, Jaú completou 148 anos e o obelisco foi aberto. O material que tinha sido colocado dentro do obelisco em 1.900 foi retirado e ficou exposto ao público no "Museu Municipal" durante todo o dia seguinte. Apesar do obelisco estar localizado dentro de um local onde se tem muita umidade, os materiais retirados estavam, em sua maioria, em perfeitas condições. O obelisco antigo foi aberto com muita dificuldade. Ao mesmo tempo em que eram feitas homenagens às pessoas que se destacaram no século passado, funcionários da prefeitura municipal escavavam a base do obelisco. O objetivo era retirar uma urna que ali estava contendo documentos deixados pelos jauenses. A escavação não apresentava resultados. A essa altura até o então prefeito "João Sanzovo Neto" não acreditava que pudesse haver alguma coisa de valor histórico no obelisco. Foram mais de quatro horas de escavações para se encontrar, por volta das 12 horas, dentro de uma "caixa de pedra no formato triangular", os objetos. Pelos documentos ali encontrados aquele obelisco tinha sido inaugurado no dia 27 de dezembro de 1.900. Um exemplar do jornal "Correio do Jahú" daquela data cita a inauguração. Todo o material retirado do obelisco foi inventariado, catalogado por museólogos e historiadores e está exposto no "Museu Municipal" da cidade.

Nesta mesma praça foi construído um novo obelisco para ser aberto em 2.101 contendo documentos sobre Jaú do século XX. O prefeito leu uma carta que foi colocada em uma urna lacrada no novo obelisco para ser lida em 2.101. Num trecho desta carta o prefeito diz:

"Jauenses do século XXII. Não saberemos como estará esta cidade quando esta carta for lida. O que sabemos é que agora ela é uma cidade boa para se viver, onde se trabalha intensamente para valorizar o ser humano."

Várias homenagens foram prestadas às pessoas que se destacaram no século passado e que em sua maioria foram representadas por parentes. Colocados os documentos sobre os fatos e as personalidades do século XX na nova urna, ela foi conduzida por atiradores do "Tiro de Guerra" até o novo obelisco projetado por "Waldemar Bernardi". A urna foi colocada junto à base do obelisco sob a placa que marcou a sua inauguração. Foram colocados dentro da urna:

* Jornais e Revistas.

* Fitas de vídeo (inclusive uma que registrou toda a solenidade até o momento da lacração da urna) e CD-Roms.

* Placas da prefeitura e da câmara.

Na placa do novo obelisco encontramos a seguinte inscrição:

O obelisco antigo, depois de aberto, foi restaurado e continua localizado no mesmo local. No dia 13 de dezembro de 2.001 mais de 30 escolas estaduais, municipais e particulares de Jaú receberam o CD-Rom "O Obelisco da Passagem do Século" elaborado pelo "DEMA - Departamento de Museu e Arquivo do Estado", que fica localizado em São Paulo. O CD reúne fotos, em tamanho original, de todo o material retirado do obelisco. Além disso, também estão reunidos no CD textos e imagens sobre a comemoração do aniversário da cidade, reprodução de reportagens de vários jornais que, na época, noticiaram a abertura do obelisco e imagens dos principais pontos da cidade de Jaú.

clique na figura para voltar